Como cuidar da saúde mental na quarentena? Confira dicas

Doenças infecciosas como a COVID-19, declarada como pandemia em março de 2020 pela Organização Mundial de Saúde, podem ser assustadoras e afetar nossa saúde mental, por causa das incertezas que o momento traz.

De acordo com a Fundação Oswaldo Cruz Brasília, estima-se que entre um terço a metade da população brasileira pode vir a manifestar problemas psicopatológicos ao enfrentar a pandemia, além do recorrente sentimento de estresse, confusão e preocupação que acontece em nível global.

Acompanhe o artigo a seguir e saiba como preservar a saúde mental na quarentena.

Por que essa situação nos afeta?

É normal seres humanos se entristecerem ou se alegrarem com facilidade, por causa de acontecimentos da vida. Porém, em uma situação anormal como uma pandemia, a falta de perspectiva, medo e estresse podem ser difíceis de serem abstraídos, o que pode levar à uma sobrecarga de sentimentos conflitantes.

Conforme as notícias sobre a COVID-19 aumentam, o excesso de informação e a falta de certeza sobre a situação podem gerar sensações desagradáveis como medo, melancolia e sensação de estar estagnado, entre outras questões existenciais.

Mesmo sendo uma eficiente medida preventiva, o confinamento pode dar a noção de solidão e afetar no distanciamento emocional das pessoas, que se sentindo sozinhas, podem buscar outros meios para suprir a falta do contato humano.

Rotinas e planos também são alterados em decorrência do distanciamento social, o que tira a sensação pessoal de controle diante dos fatos e gera reações comportamentais adversas nas pessoas, que se sentem reféns da situação.

Por que é preciso cuidar da mente?

Ao descuidar da saúde mental na quarentena, o estresse e melancolia podem, aos poucos, alterar o funcionamento do cérebro, podendo causar crises e sérios quadros depressivos e/ou ansiosos, além de outras patologias mentais que podem ser desenvolvidas ou agravadas nesse momento.

Quando esses sentimentos ruins ou flutuações de humor ocorrem em excesso de intensidade e/ou duração, passam a ser considerados como transtornos mentais e interferem diretamente no cotidiano das pessoas.

Algumas pessoas recorrerem ao abuso de álcool, tabaco e outras drogas para enfrentar esse momento difícil, o que não é uma saída válida, visto que a longo prazo essas substâncias podem piorar o bem-estar mental e físico, alterar estados de humor, prejudicando o organismo.

Entre as reações comportamentais mais comuns estão a falta de ânimo para concretizar afazeres e os distúrbios alimentares, como a alteração de apetite e compulsão alimentar, que em tempos de crise são normais e podem ser controladas.

Psicologicamente, o ato de descontar traumas e ansiedades na comida ocorre como uma maneira de regressar para formas antigas de satisfazer necessidades que as emoções trazem, assim como quando somos pequenos, ao chorar somos recompensados com uma mamadeira ou outro estímulo ao paladar.

As emoções também interagem com a saúde física por afetarem o sistema imunológico. Esse sistema é o principal mediador de agentes ambientais, como micróbios (como o novo coronavírus) e elementos químicos. Cuidar da saúde mental significa manter a imunidade do organismo, que nos protege de diversas vulnerabilidades físicas.

Esses sentimentos e atitudes negativas que a quarentena pode impulsionar, podem ser a causa do desenvolvimento ou agravamento de doenças psíquicas como ansiedade, depressão, síndrome do pânico e outros distúrbios.

Podemos considerar alguns critérios para saber se uma reação psicossocial considerada recorrente da pandemia está se tornando sintomática e precisa ser tratada, como sintomas persistentes; sofrimento intenso; comprometimento significativo do funcionamento social e cotidiano; dificuldades profundas na vida familiar, social ou no trabalho.

Cuidando da saúde mental na quarentena: O que pode ser feito?

Estresse e pensamentos negativos são recursos naturais do organismo, mas quando em excesso, o desequilíbrio causa diversas consequências à saúde mental e física, atingindo o cérebro, a imunidade e o sistema vascular.

Para cuidar da mente, pensamentos negativos e limitantes que aparecem de forma sutil devem ser substituídos por atitudes benéficas, que protejam a saúde mental na quarentena.

Também é preciso tomar cuidado ao se informar, buscando fontes confiáveis, sem ter contato com possíveis notícias falsas que disseminam desinformação e atrapalham a prevenção à COVID-19.

Ao lidar com o bombardeio de informações, uma solução é escolher momentos específicos para ler notícias, limitando-se a procurar notícias que podem acrescentar em suas medidas preventivas.

O ponto de vista sobre os atingidos pela COVID-19 também precisa ser revisto. Tratar mal as pessoas infectadas é uma maneira desumana de lidar com o problema.Ter empatia e não culpar os infectados é a melhor forma de enfrentar a pandemia.

Outras estratégias práticas para lidar com reações negativas na quarentena podem ser exercitadas como meditação, leitura, exercícios de respiração, entre outros mecanismos que concentrem a mente no momento presente.

Cuidando da mente através do corpo

O exercício físico é um componente essencial para melhorar a saúde física e mental. Se feitos com regularidade,  atuam beneficamente no cérebro por diminuir o estresse oxidativo nocivo para as células e o tecido cerebral, além de atuarem no fator neurotrófico, responsável pela a conectividade e saúde de neurônios.

Quimicamente, as atividades físicas podem aliviar tensões e promover saúde mental pela produção dos hormônios da felicidade: neurotransmissores que desencadeiam a sensação de bem-estar.

A endorfina atua como um analgésico diante das situações difíceis, com o objetivo de amenizar a dor e estresse. Pode ser liberada pelo organismo através da prática de exercícios, além de outras atividades expressivas e que dão prazer como dançar e cantar.

Assim como a endorfina, a serotonina também é desencadeada pela atividades físicas, por isso se movimentar é fundamental.

Para manter a saúde mental na quarentena, é possível realizar atividade física sem violar o isolamento social, através de exercícios aeróbicos que não dependam de grandes espaços ou equipamentos.

Buscando ajuda

Quando os sentimentos negativos se tornam frequentes ou mais intensos, e quando as estratégias utilizadas não forem suficientes para a estabilização emocional, é importante buscar ajuda profissional para lidar com o momento.

Durante o isolamento social, é possível realizar consultas de modo online. Muitos psicólogos estão, inclusive, oferecendo atendimento gratuito.

Para preservar a sanidade mental, também é importante contar com uma rede de apoio, composta de pessoas que se possa confiar como familiares e amigos.

A melhor maneira de lidar com essa situação, é confiando no trabalho contínuo de autoridades e profissionais de saúde e buscando ter paciência, já que em algum momento a pandemia irá passar.

Quer saber mais sobre saúde? Aproveite a quarentena e acompanhe outros posts do nosso blog!

Referências bibliográficas

Fundação Oswaldo Cruz. Saúde Mental e Atenção Psicossocialna Pandemia de COVID-19. Disponível em: <https://www.fiocruzbrasilia.fiocruz.br/wp-content/uploads/2020/04/Sa%c3%bade-Mental-e-Aten%c3%a7%c3%a3o-Psicossocial-na-Pandemia-Covid-19-recomenda%c3%a7%c3%b5es-gerais.pdf> Acesso em: 12/05/2020.

Organização Pan-Americana de Saúde. Considerações psicossociais e de saúde mental durante o surto de COVID-19. Disponível em: <https://iris.paho.org/bitstream/handle/10665.2/51996/OPASBRACOVID1920040_por.pdf?sequence=1&isAllowed=y> Acesso em: 11/05/2020.

Ângela da Costa Maia. Emoções e Sistema Imunológico Disponível em: <://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/5826/1/EMO%C3%87%C3%95ES%20E%20SISTEMA%20IMUNOL%C3%93GICO.pdf> Acesso em: 13/05/2020.

Rosângela Vieira de Andrade. Atuação dos neurotransmissores na depressão. Disponível em: <http://www.saudeemmovimento.com.br/revista/artigos/cienciasfarmaceuticas/v1n1a6.pdf> Acesso em: 13/05/2020.

Assine também nossa newsletter

Receba dicas sobre saúde e novidades do mercado laboratorial antes de todos.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Laboratório de Análises Clínicas Hilab

Laboratório de Análises Clínicas Hilab

Somos o laboratório pioneiro em testes laboratoriais remotos no Brasil. Criamos tecnologia diagnóstica de ponta com a missão de democratizar a saúde. Nosso time é composto por especialistas na área de saúde, tecnologia e epidemiologia, comprometidos em disponibilizar informações sobre saúde e tecnologia diagnóstica de maneira responsável e segura.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *