Colesterol HDL, LDL e Triglicerídeos: entenda de uma vez por todas

Demonstração da diferença entre fontes de colesterol HDL, LDL e triglicerídeos

Quem faz exames de rotina, se depara com diversas siglas e termos. Colesterol HDL, LDL, VLDL, colesterol total (CT), não-HDL e triglicerídeos. Mas você sabe o que significa tudo isso?

Afinal, qual é o colesterol bom e qual é o ruim? Como saber se o nível de triglicerídeos está alto ou baixo? E quais são os valores normais desses marcadores? E, provavelmente, suas perguntas não acabam por aqui.

Então, se prepare que agora é a hora de esclarecer todas as dúvidas. Continue neste texto e saiba tudo sobre colesterol e triglicerídeos. Boa leitura!

O que é o colesterol e para que serve, afinal?

Normalmente associamos o colesterol a excesso de gordura e problemas cardiovasculares. Contudo, evitar alimentos calóricos não é garantia de que seus níveis de “colesterol ruim” serão controlados.

O colesterol é um composto químico gorduroso, presente em células de todo o nosso organismo. Essa substância é essencial na formação de membranas celulares, dos ácidos biliares, para síntese de hormônios, como o estrogênio e a testosterona, e na metabolização de vitaminas, como a vitamina D

Nosso corpo obtém colesterol de duas maneiras:

  • Endógena: gerado pelo próprio organismo, em especial no fígado;
  • Exógena: obtido dos alimentos que consumimos.

Os tipos de colesterol

Apesar de no geral ter uma má fama, você já deve ter ouvido falar que existem dois tipos de colesterol, o “bom” e o “ruim”. Mas essa classificação se refere à forma como a substância é transportada em nosso corpo

Acontece que o colesterol é uma gordura, enquanto a maior parte do nosso sangue é composto por água e, portanto, não tem como dissolvê-lo. Basicamente, é a mesma coisa que acontece quando tentamos misturar água e óleo. Podemos dizer que o colesterol é hidrofóbico.

Então, para “viajar” pelo nosso corpo, ele precisa de um transportador, função incumbida às lipoproteínas. Tratam-se de partículas produzidas pelo fígado, que são formadas, em sua maior parte, por proteínas e gorduras (lipídios).

As principais lipoproteínas responsáveis por transportar nosso colesterol são a HDL (High-density lipoprotein), LDL (Low-density lipoprotein), IDL (Intermediatelow-density lipoprotein) e VLDL (Very low-density lipoprotein). E é a essas partículas que é atribuída a alcunha de colesterol “bom” ou “ruim”, como veremos a seguir.

Colesterol LDL , o ruim

LDL é a sigla em inglês para lipoproteínas de baixa densidade. Elas transportam o colesterol e um pouco de triglicerídeos pelo sangue, para armazená-los e também utilizá-los em biossínteses.

Por conta de sua função, a LDL facilita o acúmulo de gordura nos vasos sanguíneos, levando à formação de placas. Isso acontece quando nosso corpo tem muitas dessas moléculas, que ficam circulando no organismo em busca de tecidos que precisam de colesterol.

 Ilustração Colesterol LDL bloqueando artéria

Esse processo, chamado de aterosclerose, é o que causa o entupimento das artérias, que por sua vez acarreta infartos e acidentes vasculares cerebrais (AVC) – também conhecidos como derrames. E é por isso que o colesterol LDL é considerado ruim.

Colesterol VLDL, outro vilão

As VLDLs (sigla em inglês) são as lipoproteínas de densidade muito baixa. Elas transportam colesterol, mas são constituídas principalmente por triglicerídeos, transportando-os para  células em tecidos periféricos e adiposos.

Como a VLDL carrega o colesterol pelo corpo, seu excesso facilita a deposição de gordura nas artérias. Ou seja, o colesterol VLDL também é denominado como ruim.

Colesterol IDL

A lipoproteína de densidade intermediária, a IDL (sigla em inglês), é muito semelhante ao LDL e, por isso, geralmente não é dosada separadamente nos exames. 

Normalmente, o nível de colesterol LDL que vemos no exame de perfil lipídico é a soma da LDL com IDL.

Colesterol HDL, o bom

Enfim chegamos ao “bonzinho”, o colesterol HDL, que é transportado pelas lipoproteínas de alta densidade. A diferença entre HDL e LDL é o que faz do primeiro o “herói” dessa história.

Ilustração Colesterol LDL desobstruindo artéria

Ao contrário das lipoproteínas de baixa densidade, as HDL fazem a retirada do colesterol das artérias, inclusive das placas, evitando a aterosclerose. Para ficarmos na metáfora de super-heróis, é como se o Colesterol Bom fosse um protetor, responsável por combater a sujeira deixada pelo seu antagonista, o Colesterol Ruim.

Colesterol Total

O colesterol total (CT) nada mais é do que a soma de todas as outras frações: VLDL + LDL + IDL + HDL. Isso quer dizer que ele não é exatamente um “tipo de colesterol”, mas sim uma medida da substância no corpo. 

Então, quando esse marcador aparecer no seu exame de colesterol, lembre-se que os níveis de colesterol LDL e HDL é que definem o resultado. Se os níveis de CT forem altos, mas o “colesterol bom” estiver acima do recomendado, geralmente não existe risco de doenças. Contudo, a situação se inverte com o “colesterol bom” alto, aumentando o risco de problemas de saúde. 

Vale lembrar que, independentemente dos números fornecidos pelo laudo do seu perfil lipídico, é fundamental submeter seus exames à avaliação de um profissional da saúde. Estamos falando de farmacêuticos, enfermeiros, nutricionistas e médicos. 

Colesterol não-HDL

Assim como o CT, o colesterol não-HDL é um marcador do exame de perfil lipídico utilizado para estimar a quantidade de lipoproteínas que causam aterosclerose. Em outras palavras, é a soma dos colesteróis ruins: IDL+LDL+VLDL. Para muitos profissionais de saúde, esse é um indicador mais preciso de aterosclerose do que o LDL sozinho.

Como e por que controlar os níveis de colesterol?

Como já adiantamos, os níveis de colesterol estão diretamente ligados ao acometimento de doenças cardiovasculares, que podem desencadear infartos e derrames. Ainda assim, vale lembrar: manter hábitos saudáveis colabora sim para o aumento  do colesterol bom, e ajuda a baixar o colesterol ruim, mas não elimina todos os fatores de risco da chamada dislipidemia. 

Dislipidemia

Esse é nome dado à condição das pessoas que estão com os níveis de colesterol ruim elevados, e o valor de HDL baixo. Essa circunstância também se aplica aos valores altos de triglicerídeos, sobre os quais falaremos adiante.

A dislipidemia é tratada como um dos principais fatores de risco para a aterosclerose.

Causas e sintomas do colesterol ruim alto (dislipidemia)

Os fatores de risco de dislipidemia são variados, por isso é indicado que se busque orientação médica para investigar a possível origem e encontrar o tratamento mais indicado. Entretanto, as principais causas de um colesterol ruim alto são:

  • Histórico familiar;
  • Sedentarismo e dieta desequilibrada;
  • Síndrome metabólica e obesidade;
  • Diabetes;
  • Hipotireoidismo;
  • Doenças renais e hepáticas;
  • Uso abusivo de drogas, incluindo álcool e cigarro;
  • Efeitos colaterais de alguns medicamentos.

Embora a idade superior a 45 anos de idade possa ser considerada um fator de risco, atribuir o colesterol alto aos adultos e mais velhos é um dos mitos envolvendo a dislipidemia.

Já com relação aos sintomas, o maior risco está no fato da dislipidemia normalmente não manifestá-los. Não é à toa que doenças cardiovasculares são conhecidas por serem “silenciosas”.

Em casos excepcionais, podem aparecer sinais como:

  • Arco corneano: um anel esbranquiçado ao redor da íris, em pessoas com menos de 45 anos
  • Xantomas: sinais decorrentes do acúmulo de gordura no corpo;
  • Xantelasmas: placas de gorduras nas pálpebras mediais;
  • Hepatoesplenomegalia: aumento do fígado e do baço.

O que são triglicerídeos?

Os triglicerídeos (ou triglicérides) são moléculas de gordura com função de armazenamento de energia no corpo. Representam a maior parte das gorduras ingeridas. 

Os triglicerídeos são produzidos no fígado e intestino, e parte deles é obtida na ingestão de alimentos ricos em carboidratos e gordura. Eles são muito ligados ao colesterol VLDL, um de seus principais meios de transporte.

Ilustração mostrando o que são triglicerídeos

O que quer dizer triglicerídeos altos e baixos?

Níveis elevados de triglicerídeos estão associados a baixos valores de colesterol HDL e a altos níveis de colesterol LDL. Portanto, eles são um fator de risco para a aterosclerose, em especial nas condições que mencionamos.

Triglicerídeos altos também estão associados à esteatose hepática, um excesso de gordura acumulada no fígado. Além disso, podem causar pancreatite aguda, uma condição com sérios riscos de gerar complicações.

Já os triglicerídeos baixos podem ser um indicativo de alterações na tireoide, distúrbios hormonais, além de problemas relacionados à alimentação e absorção de nutrientes.

Causas e sintomas de triglicerídeos altos

As causas do aumento de triglicerídeos é parecida com o caso do colesterol ruim. Além dos fatores genéticos, o estilo de vida da pessoa é o que vai determinar se ela terá níveis normais da substância no corpo.

Portanto, quem precisa baixar os triglicerídeos deve restringir o consumo de gordura, carboidratos e bebidas alcoólicas.

Este é um problema silencioso, que costuma se manifestar tarde demais. Por isso, profissionais de saúde recomendam exames periódicos, para medir essa substância no organismo. 

Exames de colesterol e triglicerídeos

O exame de colesterol e triglicerídeos tem o nome de perfil lipídico e inclui uma série de análises. O teste determina os níveis de Colesterol HDL, LDL, VLDL, Não-HDL, Total e Triglicerídeos, e pode ser feito de forma muito simples.

O Perfil Lipídico da Hilab, por exemplo, pode ser feito por meio de um dos mais de 4.000 dispositivos de exames laboratoriais remotos que temos espalhados pelo Brasil. A amostra é coletada a partir de uma gota de sangue do dedo, um método rápido e menos doloroso. O resultado fica disponível por SMS ou e-mail e chega até o paciente depois de ser duplamente verificado e assinado por um especialista.

Kit do exame de colesterol da Hilab

O monitoramento dos níveis de colesterol e triglicerídeos do organismo é indicado para pessoas de todas as idades, mas indispensável para quem apresenta qualquer um dos fatores de risco que mencionamos.

Valores de referência para triglicerídeos

Confira os resultados considerados ideais para triglicerídeos em um exame de perfil lipídico, segundo diretrizes da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC).

Valores desejáveis para adultos > 20 anos (mg/dL):

  • <150 com jejum;
  • <175 sem jejum.

Valores desejáveis para adolescentes 10 a 19 anos (mg/dL):

  • <90 com jejum;
  • <100 sem jejum.

Valores desejáveis para crianças 0 a 9 anos (mg/dL):

  • <75 com jejum;
  • <85 sem jejum.

Valores de referência para Colesterol

Confira os resultados considerados ideais para colesterol LDL, HDL, Total e não-HDL, em um exame de perfil lipídico, segundo diretrizes da SBC.

Valores desejáveis para adultos > 20 anos (mg/dL)

  • Colesterol LDL: <130 a <50*;
  • Colesterol HDL: >40
  • Colesterol Total: <190
  • Colesterol não-HDL: <160 a <80*

Valores desejáveis para adolescentes 10 a 19 anos (mg/dL):

  • Colesterol LDL: <110
  • Colesterol HDL: >45
  • Colesterol Total: <170
  • Colesterol não-HDL: não informado

Valores desejáveis para crianças 0 a 9 anos (mg/dL):

  • Colesterol LDL: <110
  • Colesterol HDL: >45
  • Colesterol Total: <170
  • Colesterol não-HDL: não informado

*Valores definidos conforme a categoria de risco cardiovascular estimado pelo médico, do baixo ao muito alto, respectivamente.

Lembrando que, em todos os casos, os dados do exame devem ser interpretados por um médico, em conjunto com seu histórico clínico e exames complementares.


Agora que você já aprendeu tudo sobre colesterol e triglicerídeos, que tal buscar um exame de perfil lipídico para saber como anda a sua saúde? Encontre nosso local parceiro mais próximo de você e faz um Hilab!

Referências bibliográficas

Sociedade Brasileira de Cardiologia. Atualização da Diretriz Brasileira de Dislipidemias e Prevenção da Aterosclerose. Disponível em: <http://publicacoes.cardiol.br/2014/diretrizes/2017/02_DIRETRIZ_DE_DISLIPIDEMIAS.pdf>. Acesso em: 29 de outubro de 2021.

Manual MSD. Dislipidemia. Disponível em: <https://www.msdmanuals.com/pt/profissional/dist%C3%BArbios-end%C3%B3crinos-e-metab%C3%B3licos/dist%C3%BArbios-lip%C3%ADdicos/dislipidemia>. Acesso em: 29 de outubro de 2021.

Manual MSD. Visão geral dos metabolismo lipídico. Disponível em: <https://www.msdmanuals.com/pt/profissional/dist%C3%BArbios-end%C3%B3crinos-e-metab%C3%B3licos/dist%C3%BArbios-lip%C3%ADdicos/vis%C3%A3o-geral-dos-metabolismo-lip%C3%ADdico#>. Acesso em: 29 de outubro de 2021.

MD.Saúde. Colesterol – O que são HDL, LDL e triglicerídeos?. Disponível em: <https://www.mdsaude.com/cardiologia/colesterol/colesterol-hdl-ldl-triglicerideos/#Quais_sao_os_sintomas_do_colesterol_alto>. Acesso em: 29 de outubro de 2021.

Assine também nossa newsletter

Receba dicas sobre saúde e novidades do mercado laboratorial antes de todos.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Laboratório de Análises Clínicas Hilab

Laboratório de Análises Clínicas Hilab

Somos o laboratório pioneiro em testes laboratoriais remotos no Brasil. Criamos tecnologia diagnóstica de ponta com a missão de democratizar a saúde. Nosso time é composto por especialistas na área de saúde, tecnologia e epidemiologia, comprometidos em disponibilizar informações sobre saúde e tecnologia diagnóstica de maneira responsável e segura.

2 comentários em “Colesterol HDL, LDL e Triglicerídeos: entenda de uma vez por todas”

  1. Avatar
    Agenor Lourenço

    Bom Dia
    Tenho 66 anos masculino fiz exames
    e meu colesterol LDL está 91 e HDL em 33 sei que está abaixo do desejado, Quais a dieta a seguir para reverter esses níveis.
    se puder me ajudar, esse meu e-mail
    [email protected]

    1. Avatar
      Marketing Hilab

      Olá, Agenor! Tudo bem?

      O LDL é o nosso colesterol ruim e o HDL é o nosso colesterol bom. Como o seu HDL está baixo, é importante praticar atividade física e adotar uma alimentação saudável.
      Lembre-se de levar o seu resultado ao médico para que ele possa avaliar o seu exame.
      Para prevenir doenças do coração, você pode adotar a Alimentação Cardioprotetora. Neste link você encontrará mais informações sobre esse tipo de alimentação: <https://hilab.com.br/blog/alimentos-bons-para-o-coracao/>

      A Alimentação Cardioprotetora prioriza os alimentos in natura, ou seja, aqueles que são adquiridos sem sofrer qualquer alteração após deixar a natureza, ou que sofreram alterações mínimas.

      Frutas, verduras e legumes são alimentos in natura.

      Qualquer dúvida, estamos à disposição.

      Abraço,

      Equipe Hilab.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Olá, precisa de alguma informação?

Vamos conversar!