Mioglobina: o que é e qual a sua relação com o infarto?

Papel da mioglobina no diagnóstico do infarto do miocárdio

O infarto agudo do miocárdio (IAM) é uma das principais causas de mortes isoladas no Brasil.

O diagnóstico do IAM é baseado em um conjunto de critérios clínicos e laboratoriais.

A necessidade de  estabelecer o diagnóstico de IAM no momento em que o paciente chega à emergência tem levantado interesse sobre marcadores biológicos detectáveis nas primeiras horas da lesão cardíaca.

Acompanhe o artigo a seguir e entenda o papel da mioglobina na detecção rápida do infarto.

O que é o infarto agudo do miocárdio (IAM)?

O coração, assim como os demais órgãos do corpo humano, necessita de sangue rico em oxigênio para exercer suas funções vitais.

A interrupção do fornecimento de sangue para o coração ocorre quando há alguma obstrução nas artérias que nutrem o músculo cardíaco, conhecidas como artérias coronárias. Quando isso acontece, ocorre o infarto agudo do miocárdio (IAM).

Essa interrupção no fluxo sanguíneo é causada pelo acúmulo de gordura nas paredes dos vasos sanguíneos (aterosclerose), que acabam reduzindo o aporte sanguíneo ou bloqueando seu fluxo.

O IAM é, portanto,  a necrose das células miocárdicas devido à oferta inadequada de oxigênio ao coração.

Quais são os marcadores de lesão cardíaca? 

Os marcadores de lesão miocárdica são moléculas intracelulares liberadas na corrente sanguínea após a lesão muscular decorrente de necrose (morte celular). 

Dentre eles podemos citar como os principais biomarcadores utilizados:

  • Creatina fosfoquinase (CK-total);
  • Creatina fosfoquinase fração MB (CK-MB);
  • Mioglobina;
  • Troponina. 

O que é a mioglobina ?

A mioglobina é uma proteína responsável pelo transporte e armazenamento de gases como o oxigênio (O2) no interior dos músculos esqueléticos e cardíacos, utilizados nos processos de contração muscular.

A mioglobina apresenta elevada importância no diagnóstico precoce de IAM. Essa proteína possui baixo peso molecular, apresentando-se já nas primeiras horas após o início dos sintomas.

O seu pico no plasma sanguíneo é entre 6 a 12 horas. Após esse período, tende a cair para dentro do seu intervalo de referência (10 – 92 ng/mL), devido a uma rápida eliminação via renal.

A dosagem desta proteína através de exames de sangue possibilita o rápido diagnóstico do IAM, além de quantificar a seriedade da doença.

Os valores de referência podem variar de acordo com a idade, o sexo e a raça.

A importância do exame de mioglobina

O diagnóstico de IAM usando somente critérios clínicos e eletrocardiográficos pode ser difícil quando o paciente está em situação de emergência e urgência.

Dessa forma, a dosagem da mioglobina permite o diagnóstico precoce do IAM, sendo de extrema importância para a confirmação da suspeita clínica.

O desenvolvimento de novos métodos de dosagem da mioglobina são capazes de fornecer medidas quantitativas de maneira rápida e eficaz , sendo primordial a sua utilização em ambientes de emergências.

Visto que se trata de um marcador muito sensível, a mioglobina pode vir a apresentar valores alterados em  condições como:

  • Infarto agudo do miocárdio;
  • Lesão muscular;
  • Lesão cardíaca;
  • Exercícios extenuantes;
  • Problemas renais;
  • Consumo excessivo de álcool.

Como prevenir o infarto agudo do miocárdio?

Aterosclerose por acúmulo de gordura nas artérias

Como sabemos, o IAM é causado pelo acúmulo de gordura na parede dos vasos sanguíneos ou pela formação de coágulos que podem interromper o fluxo normal do sangue.

A melhor maneira de prevenção é manter hábitos saudáveis como:

Quem está mais suscetível ao infarto?

Doenças cardíacas são umas das principais causas de mortes em todo o mundo, apresentando uma maior incidência em pessoas:

  • Acima do peso;
  • Tabagistas;
  • Sedentárias;
  • Hipertensas;
  • Pessoas com diabetes;
  • Colesterol elevado;
  • Histórico familiar de doença coronariana na família.

Gostou de saber mais sobre a mioglobina? Conheça o exame de marcadores cardíacos com análise remota da Hilab.

Referências

AVEZUM, A.; et al . III Diretriz sobre tratamento do infarto agudo do miocárdio. Arq. Bras. Cardiol.,  São Paulo ,  v. 83, supl. 4, p. 1-86,  2004.

CAVALCANTI, A. B.; et al . Diagnóstico do infarto agudo do miocárdio. Valor da dosagem de mioglobina sérica comparada com a creatinofosfoquinase e sua fração MB. Arq. Bras. Cardiol.,  São Paulo ,  v. 70, n. 2, p. 75-80, 1998 .

DE MATOS, D. G. A mioglobina: oferta de oxigênio no músculo. Revista Brasileira de Fisiologia do Exercício, v. 10, n. 4, p. 240-244, 2011.

HENRIQUES, S.; et al. Biomarcadores Cardíacos nas Síndromes Coronárias Agudas. Revista da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna; Portugal: v.13, n. 2, 2006.

Assine também nossa newsletter

Receba dicas sobre saúde e novidades do mercado laboratorial antes de todos.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Laboratório de Análises Clínicas Hilab

Laboratório de Análises Clínicas Hilab

Somos o laboratório pioneiro em testes laboratoriais remotos no Brasil. Criamos tecnologia diagnóstica de ponta com a missão de democratizar a saúde. Nosso time é composto por especialistas na área de saúde, tecnologia e epidemiologia, comprometidos em disponibilizar informações sobre saúde e tecnologia diagnóstica de maneira responsável e segura.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Olá, precisa de alguma informação?

 

Eu posso te ajudar! 😃