Qual exame fazer após a vacina da covid? Confira as orientações

Qual exame de COVID-19 fazer após a vacina?

Desde que as vacinas começaram a ser aplicadas na população, uma dúvida tem se tornado frequente entre as pessoas que estão sendo imunizadas e também entre os profissionais que orientam a população em relação à imunização. Afinal, é necessário ou não fazer um exame para avaliar se a vacinação induziu a produção de anticorpos? Algum exame é indicado?

Para esclarecer estas e outras dúvidas a respeito das vacinas contra a COVID-19, elaboramos um artigo contendo as principais orientações da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), entidade científica sem fins lucrativos criada em 1998 para agregar profissionais de diferentes especialidades interessados no tema. Confira.

Afinal, preciso fazer o teste sorológico para verificar a resposta à vacina da COVID-19?

Segundo a SBIm, os testes sorológicos, não são recomendados para esse fim porque não permitem uma conclusão isenta de erros sobre a resposta à vacina, o que pode ocorrer por alguns motivos:

  1. Não se sabe o nível de anticorpos necessários (correlato de proteção) para prevenir a COVID-19, portanto o resultado positivo (reagente) não significa necessariamente que a pessoa está protegida.
  2. O resultado negativo (não reagente) pode refletir a baixa sensibilidade do exame (falso negativo). Isso significa que, pessoas protegidas pela vacina podem testar negativo no exame.
  3. As vacinas contra COVID-19 têm como alvo a produção de anticorpos contra a proteína S do SARS-CoV-2. Essa proteína é responsável pela ligação com nossas células e a consequente infecção. São esses os anticorpos que seriam os marcadores de proteção a serem investigados.

Em relação aos testes para COVID-19 atuais, estes podem verificar tanto o nível dos anticorpos contra a proteína S, quanto os anticorpos contra a proteína do nucleocapsídeo do vírus (N). Uma vez que essa informação nem sempre está presente no laudo, isso pode gerar erros de interpretação.

A SBIm orienta também que, mesmo um resultado positivo (reagente) para anticorpos contra a proteína S, pode não ser possível avaliar se essa resposta do sistema imunológico foi induzida pela vacina ou se foi proveniente de uma infecção prévia pelo vírus.

Se eu não preciso fazer exames após tomar a vacina, o que deve ser feito?

Segundo a SBIm, após a vacinação é necessário continuar a usar máscara e manter distanciamento de outras pessoas. Isso porque, nenhuma vacina é 100% eficaz e não sabemos se as vacinas disponíveis até o momento são capazes de impedir a transmissão do vírus.

Além disso, enquanto tivermos doses insuficientes para vacinar grande parte da população – o que ainda está acontecendo no nosso país – sempre teremos pessoas vulneráveis e que poderão apresentar quadros graves da COVID-19.

Após ter tomado a vacina, em quanto tempo ficarei imunizado?

O organismo precisa de um tempo para produzir os anticorpos. Segundo estimativas, esse tempo é atingido em cerca de duas semanas após a imunização. Para as duas vacinas disponíveis no Brasil hoje são necessárias duas doses.

Quais são os exames disponíveis para avaliar se uma pessoa está com COVID-19?

Para avaliar se um indivíduo está com COVID-19, o mercado laboratorial oferece diferentes tipos de testes para COVID-19: os Testes Laboratoriais Remotos (também conhecidos como TLRs), os testes rápidos e os testes baseados em Biologia Molecular.

Em relação aos Testes Laboratoriais Remotos (TLRs), que oferecem um resultado em apenas alguns minutos, existem os exames que detectam os anticorpos (exames de sorologia) e os exames que detectam antígenos do SARS-CoV-2. Já os testes baseados em Biologia Molecular, como o teste de RT-PCR e o RT-LAMP (Loop-Mediated Isothermal Amplification) são aqueles que detectam o material genético do vírus.

Em farmácias, consultórios e hospitais, os Testes Laboratoriais Remotos podem ser oferecidos para agilizar a rotina e promover o diagnóstico rápido que os exames convencionais não são capazes de trazer devido à demora para a entrega dos resultados.

Qual é a diferença entre os TLRs que detectam os anticorpos e os TLRs que detectam os antígenos?

O TLR de sorologia detecta os anticorpos que são produzidos pelo organismo para combater a infecção. Já o TLR de antígeno, detecta as proteínas virais. Assim como o exame de RT-PCR, o exame de antígeno também é feito com um swab nasofaríngeo. Os dois exames estão disponíveis pela Hilab, laboratório de análises clínicas pioneiro em exames desta modalidade.

O exame de antígeno é mais barato quando comparado ao RT-PCR e surgiu como uma forma de identificar o mais rápido possível a infecção, uma vez que, assim como o exame de RT-PCR, é indicado para a fase inicial. No entanto, o resultado do exame de antígeno sai em apenas alguns minutos, e não em 2 ou 3 dias, como é o caso do exame de RT-PCR.

O teste de antígeno é indicado a partir do 1º até o 5º dia do início dos sintomas ou a partir do 5º dia da exposição ao vírus e possui alta correlação com o período de maior transmissibilidade da doença.

Já o exame de sorologia Hilab, detecta anticorpos IgM e IgG e por isso é indicado para avaliar exposição prévia ao vírus. Deve ser realizado a partir do 7º dia do início dos sintomas.

O exame de sorologia IgM e IgG Hilab pode ser usado para avaliar se o indivíduo já foi exposto ao vírus. Ele também avalia a resposta à imunização?

Como vimos, nem o exame que detecta os anticorpos contra o nucleocapsídeo do vírus, nem o exame que detecta os anticorpos contra a proteína S, podem avaliar se houve resposta à imunização. Por este motivo, não é necessário fazer exames após tomar a vacina contra a COVID-19.

Sobre a Hilab

A Hilab é um laboratório de análises clínicas que há mais de 16 anos atua no mercado de tecnologia médica. Nossos resultados são rápidos e confiáveis porque nós unimos a Inteligência Artificial e a Internet das Coisas ao conhecimento de profissionais de saúde altamente capacitados. Nossos Testes Laboratoriais Remotos estão disponíveis em farmácias, empresas, clínicas e consultórios de todo o Brasil.

Ficou interessado e quer contratar o nosso serviço? Preencha o formulário que em até 48h nós ligamos para você!

Referências Bibliográficas:

Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm). COVID-19. Perguntas e Respostas sobre as vacinas. Disponível em: <https://sbim.org.br/covid-19/1456-perguntas-e-respostas>. Acesso em: 26 de março de 2021.

Assine também nossa newsletter

Receba dicas sobre saúde e novidades do mercado laboratorial antes de todos.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Micheli Pecharki

Micheli Pecharki

Micheli é Bióloga e coordenadora de conteúdos na Hilab. Acredita que transformar o conhecimento técnico em algo acessível é essencial para que as pessoas saibam como cuidar mais da própria saúde e vivam, assim, com mais qualidade de vida. É apaixonada por cachorros e escrever e nas horas vagas gosta de estar em contato com a natureza.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Olá, precisa de alguma informação?

Vamos conversar!