Home > Blog > Tireoide: o que é o exame de TSH e por que ele é importante?

Tireoide: o que é o exame de TSH e por que ele é importante?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

De acordo com os consensos do Departamento de Tireoide da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, a dosagem do TSH é o exame inicial para identificar doenças da tireoide.

Dentre todas as doenças que acometem essa glândula, a mais comum é o hipotireoidismo. A doença é mais frequente em mulheres e em pessoas com mais de 60 anos de idade. 

Além disso, tende a se repetir entre os membros da família. Por esse motivo, se você tem hipotireoidismo não deixe de avisar seus parentes sobre a sua condição. Quando não tratada, a doença afeta o desempenho físico e mental, além de elevar os níveis de colesterol no sangue.

Se você tem curiosidades em relação à doença, acompanhe o artigo a seguir.

O que é a tireoide? O que é TSH? 

A tireoide é uma glândula localizada no pescoço e regula a função de órgãos importantes como o coração, o cérebro, o fígado e os rins. Ela produz dois hormônios essenciais para o organismo, denominados T3 e T4 (tiroxina).

A função da tireoide é controlada pela hipófise, uma outra glândula, porém localizada no cérebro. A hipófise produz um hormônio chamado hormônio estimulador da tireoide (TSH), que ativa as células produtoras de T4 na tireoide.

Quando há disfunção da glândula tireoide, essa glândula cresce, causando uma saliência na frente e no lado do pescoço, chamado de bócio. 

O bócio ocorre tanto pelo excesso de tiroxina (hipertireoidismo) quanto pela deficiência de tiroxina (hipotireoidismo). O bócio presente em situações de hipotireoidismo ocorre quando não existe tiroxina circulante suficiente para inibir a produção de TSH.

O que causa o hipotireoidismo?

Em adultos, a doença de Hashimoto, também conhecida como tireoidite de Hashimoto, é a causa mais comum de hipotireoidismo. Nessa situação, o próprio organismo ataca e danifica a tireoide, que passa a não produzir hormônio da tireoide suficiente.

Em mulheres acima de 50 anos, a doença de Hashimoto é a mais comum doença auto-imune. O hipotireoidismo também pode pode ser causado devido ao tratamento com o iodo radioativo ou por cirurgia da tireoide. Também pode estar presente desde o nascimento.

Quais são os sintomas do hipotireoidismo?

  • Depressão;
  • Desaceleração dos batimentos cardíacos;
  • Intestino preso;
  • Menstruação irregular;
  • Falhas de memória;
  • Cansaço excessivo;
  • Dores musculares;
  • Pele seca;
  • Queda de cabelo;
  • Ganho de peso;
  • Aumento de colesterol no sangue.

Como a doença é detectada?

Os níveis do  hormônio estimulador da tireoide (TSH) e do hormônio da tireoide (T4) podem ser medidos por meio de exames de sangue.

Quando os níveis de TSH estão aumentados e os níveis de T4 baixos, a pessoa apresenta hipotireoidismo. Na fase inicial da doença, ou na forma leve, o TSH estará alto no entanto, o T4 pode estar normal.

Quando preciso fazer exames da tireoide?

Você deve realizar o exame caso possua familiares com a doença ou se você tiver um ou mais dos sintomas do hipotireoidismo.

Segundo recomendações, mulheres com idade superior a 60 anos, mesmo que não apresentem sintomas, devem realizar o exame. No entanto, é importante estar sempre atento pois todas as pessoas, independente da idade e sexo, podem desenvolver problemas na tireoide.

O que acontece quando o hipotireoidismo não é tratado?

Se o hipotireoidismo não for tratado corretamente, pode elevar os níveis de colesterol, aumentando as chances de a pessoa desenvolver problemas cardíacos. Além disso, o hipotireoidismo afeta o desempenho físico e mental.

Como é o tratamento e por que é importante dosar o TSH?

A doença é tratada com o uso diário de levotiroxina, na quantidade prescrita pelo médico. A levotiroxina é um medicamento idêntico ao T4 produzido pela tireoide e deve ser tomado todos os dias, em jejum, para que a ingestão de alimentos não altere a sua absorção. Grande parte das pessoas com hipotireoidismo precisam repor o hormônio da tireoide durante toda a vida.

No decorrer do tempo, doses muito elevadas de hormônios da tireoide podem levar à arritmias cardíacas e à perda da massa óssea. Doses muito baixas podem não surtir o efeito desejado. Por isso, é sempre importante consultar seu médico e o farmacêutico. Quem tem hipotireoidismo pode levar uma vida normal, desde que utilize a medicação de forma adequada.

Gostou de aprender mais sobre o hipotireoidismo? Aproveite para compartilhar o conteúdo e curtir a nossa página!

Biblioteca Virtual em Saúde. Hipotireoidismo. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/dicas-em-saude/2197-hipotireoidismo>. Acesso em: 22 de agosto de 2018. 

Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia. Entendendo a Tireoide: Hipotireoidismo. Disponível em: <https://www.endocrino.org.br/entendendo-tireoide-hipotireoidismo/>. Acesso em: 22 de agosto de 2018.

Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia. Principais exames da tireoide. Disponível em: <http://www.tireoide.org.br/principais-exames-da-tireoide/>. Acesso em: 22 de agosto de 2018.

 

GOSTOU DO ARTIGO? AVALIE

Média da classificação 4.3 / 5. Número de votos: 71

COMPARTILHE ESTE POST NAS REDES
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Fique por dentro de todas as novidades sobre saúde e mercado laboratorial. Assine nossa newsletter para receber conteúdo exclusivo!

RELACIONADOS
Fique por dentro de todas as novidades sobre saúde e mercado laboratorial.
Assine nossa newsletter para receber conteúdo exclusivo!
Contrate o Hilab

Preencha o formulário para que um de nossos consultores entre em contato com você.

Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.