Faça exames com segurança e rapidez.

Como funciona o Hilab?

O tempo médio de duração do processo é de 5 a 10 minutos.

img-icon

• A coleta é feita a qualquer hora.

• Coleta de 1 a 3 gotas de sangue.

• Procedimento seguro.

img-icon

• A cápsula é inserida no leitor.

• O resultado é digitalizado e transmitido digitalmente para o laboratório central.

• Especialistas analisam o resultado e assinam o laudo em poucos minutos.

img-icon

• Com o resultado em mãos, o paciente apresenta o laudo ao seu médico que imediatamente pode dar sequência ao atendimento.

Assista e entenda mais sobre o Hilab:

Exames Hilab

Imunologia

Chikungunya

A febre Chikungunya é uma doença causada por um vírus do gênero Alphavirus transmitida por mosquitos do gênero Aedes. A doença pode manifestar-se clinicamente de três formas: aguda, subaguda e crônica. Na fase aguda os sintomas aparecem de forma brusca e compreendem febre alta, dores articulares, cefaleia e dores musculares.

O período médio de incubação da doença é de três a sete dias. Os sintomas costumam persistir por 7 a 10 dias, mas a dor nas articulações pode durar meses ou anos e, em certos casos, converter-se em uma dor crônica incapacitante para algumas pessoas. Na fase subaguda, após dez dias, a maioria dos pacientes sentirá uma melhora geral. A doença crônica é definida por sintomas que persistem mais de três meses. O sintoma persistente mais comum é artralgia inflamatória nas mesmas articulações afetadas durante os estágios agudos.

Dengue IgG/IgM

Infecção viral caracterizada por início agudo de febre, dor de cabeça, dores musculares (em juntas e periorbitais) e rash cutâneo. O vírus é transmitido pelos mosquitos do gênero Aedes (em especial, o Aedes aegypti). Depois da picada de um mosquito infectado, ocorre um período de incubação (2 – 9 dias), quando aparecem os sintomas. Os anticorpos específicos IgM são encontrados em cerca de 80% dos pacientes no quinto dia e cerca de 99% dos pacientes no décimo dia do contato, persistindo na circulação por cerca de três meses. Os anticorpos IgG específicos tornam-se detectáveis um ou dois dias após o aparecimento dos IgM específicos.

HCV

Hepatite é um termo que significa inflamação no fígado. A hepatite C é causada pelo vírus C (HCV), já tendo sido chamada de “hepatite não A não B”. Por ser assintomática, muitos desconhecem ter a doença. A infecção apresenta período médio de incubação de seis a oito semanas, sendo que 70% a 80% dos casos evoluem de forma assintomática e anictérica. As principais causas de transmissão são:

• Transfusão de sangue;
• Compartilhamento de material para uso de drogas (seringas, agulhas, cachimbos, entre outros), higiene pessoal (lâminas de barbear e depilar, escovas de dente, alicates de unha ou outros objetos que furam ou cortam) ou para confecção de tatuagem e colocação de piercings;
• Da mãe infectada para o filho durante a gravidez (mais rara);
• Sexo sem camisinha com uma pessoa infectada (mais rara).

O teste Imunológico anti-HCV Hilab é um teste de triagem, não sendo a metodologia definitiva para análise.

Influenza A+B

Comumente conhecida como gripe, é uma doença viral febril, aguda, geralmente benigna e autolimitada. Frequentemente é caracterizada por início abrupto dos sintomas, que são predominantemente sistêmicos, incluindo febre, calafrios, tremores, dor de cabeça, mialgia e anorexia, assim como sintomas respiratórios com tosse seca, dor de garganta e coriza. A infecção geralmente dura 1 semana e com os sintomas sistêmicos persistindo por alguns dias, sendo a febre o mais importante. Existem 3 tipos de influenza: A, B e C. O vírus influenza C causa apenas infecções respiratórias brandas, não possui impacto na saúde pública e não está relacionado com epidemias. O vírus influenza A e B são responsáveis por epidemias sazonais, sendo o vírus influenza A responsável pelas grandes pandemias. O período de incubação é de 1 a 4 dias.

Rubéola

É uma infecção contagiosa causada por vírus e caracterizada por erupções vermelhas na pele.
Ela é causada pelo vírus Rubivírus (da família Togaviridae)
 e é transmitida por via respiratória, por meio do espirro ou tosse, sendo altamente contagiosa. Uma pessoa infectada pode transmitir a doença para outros antes do início da erupção ou até uma a duas semanas depois de seu desaparecimento. Ou seja, uma pessoa pode transmitir a doença antes mesmo de saber que está infectada. A importância epidemiológica da rubéola está representada pela ocorrência da Síndrome da Rubéola Congênita (SRC), que atinge o feto ou o recém-nascido cujas mães se infectaram durante a gestação. A infecção na gravidez acarreta inúmeras complicações para a mãe (aborto e natimorto) e para os recém-nascidos, como malformações congênitas (surdez, malformações cardíacas, lesões oculares e outras).

Toxoplasmose

A toxoplasmose é uma doença infecciosa causada pelo protozoário Toxoplasma gondii, comumente encontrado em fezes de gato e alimentos contaminados. Pode causar graves complicações para gestantes e pessoas com o sistema imunológico debilitado. Os sintomas incluem dor muscular, febre e dor de cabeça, que podem durar semanas. Cerca de 90% das pessoas que contraem a toxoplasmose não manifestam nenhum sintoma. Os outros 10% podem apresentar aumento de gânglios, febre, dor muscular e de cabeça (podendo durar semanas).

Zika

É uma doença viral aguda, transmitida principalmente pelos mosquitos Aedes Aegypti e Aedes albopictus. caracterizada por exantema maculopapular pruriginoso, febre intermitente, hiperemia conjuntival não purulenta e sem prurido, artralgia, mialgia e dor de cabeça. A maior parte dos casos apresentam evolução benigna e os sintomas geralmente desaparecem espontaneamente após 3-7 dias. No entanto, observa-se a ocorrência de óbitos pelo agravo, aumento dos casos de microcefalia e de manifestações neurológicas associadas à ocorrência da doença.

Hormônios

Beta hCG

O beta hCG consiste em uma fração do hormônio hCG, que atende pelo nome de gonadotrofina coriônica humana. O hCG é um hormônio produzido pela placenta e células trofoblásticas.

A secreção de hCG serve para estimular a produção de progesterona pelo corpo lúteo, na fase inicial da gravidez, sendo fundamental para o desenvolvimento do processo.  A dosagem de hCG é utilizada primariamente para o diagnóstico da gravidez.

Em uma gravidez normal, a secreção do hCG é detectável entre 7 a 10 dias após a fertilização. O exame pode ser usado também para monitoramento de inseminação artificial e fertilização in vitro, diagnóstico e monitoramento de tumores, diagnóstico de gravidez ectópica e acompanhamento de aborto.

Vitamina D

É o metabólito utilizado para a determinação de suficiência de vitamina D. O fígado converte a Vitamina D em 25-OH, da forma que seus níveis presentes na circulação sanguínea refletem diretamente a Vitamina D ingerida e/ou sintetizada na pele. As principais fontes de obtenção são a sintetização na pele através da exposição a luz solar e pela alimentação através de peixes como salmão e cavala, além de leveduras e cogumelos. Nota-se sua deficiência em pacientes com doenças hepáticas, biliares ou gastrointestinais, além de predisposição a osteoporose e osteomalácia.

Marcadores Oncológicos

PSA

O exame de PSA (antígeno prostático específico) é um marcador produzido pela próstata e que está presente em altas concentrações em fluídos seminais e, embora esteja em concentrações baixas na circulação sanguínea, sua detecção é possível. É usado como teste de triagem para diagnóstico e monitoramento de patologias prostáticas (câncer de próstata, hiperplasia prostática benigna e prostatites). A determinação do PSA isoladamente não possui índices de especificidade e sensibilidade que permitam a utilização do teste isoladamente como marcador de câncer de próstata.

Bioquímica

Hemoglobina Glicada - Hb1Ac

A Hemoglobina Glicada é um exame utilizado para monitorar o acompanhamento de pacientes diabéticos, por ser uma dosagem eficaz de avaliar os níveis médios de glicose nos últimos 2 a 3 meses. Nestes pacientes, o excesso de glicose no sangue forma um complexo com a Hemoglobina, num processo chamado de glicação da Hemoglobina, formando o complexo que é chamado de Hemoglobina Glicada. A hemoglobina tem vida média de 3 meses, por isso ela consegue dizer o quão eficaz está o tratamento do paciente e como tem sido a glicemia do paciente nesse período.